sexta-feira, 2 de janeiro de 2009

MEU

Por vezes
não me deixo ser eu.
Apenas tu existes,
Só tu respiras…
E eu vou morrendo
Anulando-me em ti…
Porque não te deixo
Deixar de ser meu?...

6 comentários:

Fênix disse...

Lindo...... ;)

Sayuri disse...

Obrigada pela visita, e pelo comentário! :)

Déia Musso disse...

Este é o blog mais LINDOOO q jah vi!
PARABÉNS!
2OO9 MARAVILHSO PRA VC :D

Sayuri disse...

Déia, é muito bom ouvir um elogio destes quando se trata de coisas que nos saiem da alma :D
Muito obrigada pela visita e volta sempre!

poeta_poente disse...

Não há amor, paixão, ou pessoa que mereça que nos anulemos.
Adorei o poema e, como sempre identifiquei-me de certa forma.

Beijo

Sayuri disse...

Poeta Poente, concordo! São momentos que fazem parte de todo um processo :)